2/07/14

RUC @ Lindau Meeting ’14 – Dia 3

unnamed (8)Hoje pudemos ouvir as palestras de Françoise Barré-Sinoussi (Prémio Nobel da Medicina 2008), Rolf Zinkernagel (Prémio Nobel Medicina 1996), Harald zur Hausen (Prémio Nobel da Medicina 2009), Ada Yonath (Prémio Nobel da Química 2009), Thomas Steitz (Prémio Nobel), Brian Kobilka (Prémio Nobel da Química 2012), Aaron Ciechanover ( Prémio Nobel da Química 2004) e Steven Chu (Prémio Nobel da Física 1997). Os abstracts das palestras podem ser encontrados em http://www.lindau-nobel.org/2014_Lindau_Meeting__Physiology_Medicine.AxCMS?ActiveID=2782.

Françoise Barré-Sinoussi, laureada com o Prémio Nobel da Medicina de 2008, pela descoberta do vírus da imunodeficiência humana, o HIV, com quem a RUC falou ontem, mostrou o mais actual sobre a problemática do HIV. Entre muita da estatística que exibiu pudemos ver que em 32,4 milhões de pessoas só 10 milhões têm acesso a tratamento e por cada 3 pacientes começam tratamento, há 5 novas infecções. A meta ideal será a remissão da doença, na qual se atinge uma qualidade de vida a longo termo sem transmissão e sem tratamento. Atingiu-se agora um patamar mais complicado no progresso, no qual os doentes, que já estão em tratamento e vivem sem problemas,  não cooperam tanto com as novas experiências pois já não precisam delas. A laureada mostrou ainda os caminhos possíveis para o futuro e progresso do campo, em termos de respostas científicas.

Françoise Barré-Sinoussi

Françoise Barré-Sinoussi

“Metade dos livros está errado,  mas não sabemos qual a metade”, foi assim que começou a palestra  do laureado com Rolf Zinkernagel, Prémio Nobel da Medicina de 1996, que descobriu como é que o sistema imunitário identifica células infectadas por vírus. A palestra sob o tema “Porque não temos uma vacina contra o HIV e a tuberculose?”, focou-se na razão para termos vacinas contra doenças letais e que incidem na infância mas não termos contra infecções ou tumores lentos e crónicos. “Há ainda muitas pessoas que não se vacina. Quão estúpidos conseguimos ser?”, “Enquanto cientistas temos que comunicar melhor pois algo está a falhar. Sabemos muito, mas a informação não está a passar porque as pessoas continuam a não vacinar-se, a consumir drogas, a ter maus hábitos de exercício e alimentação,  etc.” A RUC conseguiu falar brevemente com o laureado, que reforçou que as pessoas devem vacinar-se e que os cientistas têm de comunicar melhor, apelidando de estúpido e irresponsável a sociedade ter maus hábitos quando conhecemos as suas consequências.

Rolf Zinkernagel

Rolf Zinkernagel

Harald zur Hausen, que partilhou o Prémio Nobel em 2008 com Françoise Barré-Sinoussi,  falou sobre agentes infecciosos como carcinógenicos, pois os cancros associados a agentes infecciosos não são directamente causados pelo agente infeccioso. Zur Hausen foi laureado pelo seu estudo do vírus do papiloma humano.

unnamed (11)

Harald zur Hausen (no slide lê-se “Colaboradores Involuntários)

Ada Yonath, laureada com o Prémio Nobel da Química com quem já falámos,  falou sobre a resistência dos agentes infecciosos a antibióticos e como deve ser combatida parcialmente. Ada Yonath reforça que só queremos combater parcialmente a resistência porque não queremos acabar totalmente com as bactérias. Além do vasto tempo que dedicou a agradecer a todos os seus colaboradores, e a apresentá-los,e a falar sobre a neta, a laureada dirigiu-se às jovens cientistas: “É possível ser mãe,  avó,  cozinhar bons bolos e ser uma excelente cientista”. O tema das mulheres na ciência está bastante presente nesta Meeting.

unnamed (12)

Ada Yonath

Thomas Steitz, que patilhou o Nobel com Ada Yonath, sublinhou que a investigação básica é muito importante.

Ao contrário do que anunciou, e do que apresentou em Coimbra no PYCHEM 2014, Aaron Ciechanover, já entrevistado pela RUC, falou sobre a sua descoberta da degradação de proteínas mediada pela ubiquitina.

Steven Chu falou sobre microscopia electrónica, e realçou o facto de muitos prémios Nobel da Física serem atribuídos a descobertas com grande aplicação na medicina, razão de ele estar a falar numa Meeting dedicada à Fisiologia/Medicina.

unnamed (13)

Steven Chu

Conseguimos falar também com J. Michael Bishop, que reforça a questão da não vacinação,  afirmando que acreditar não é saber, e que o problema está maioritariamente pela internet que está cheia de falsa ciência e na qual as pessoas acreditam mais, talvez por terem maior facilidade de acesso do que aos cientistas. Com uma gargalhada, diz que talvez seja preciso os cientistas serem mais activos na web.

unnamed (14)

J. Michael Bishop

No final da tarde a Comissão Europeia fez uma apresentação. “Excelência na Investigação : O bilhete europeu para o nosso futuro”.

A RUC falou ainda com 3 Young Scientists. Os irmãos gémeos  idênticos Tárnoki, de Budapeste, fazem estudos exactamente com gémeos idênticos,  pois estes gémeos têm quase 100% do DNA igual, o que permite fazer estudos sobre o que é hereditário e o que é principalmente devido ao ambiente. Nas suas descobertas chegam à conclusão que praticamente todas as condições são afectadas pelo ambiente, nem que seja minimamente, mas é importante conhecer aquelas que são praticamente só condicionadas pelo ambiente porque essas podemos controlar e evitar doença.

unnamed (15)

Irmãos Tárnoki, Young Scientists

A RUC falou também com uma  dos 4 Young Scientists portugueses que foram seleccionados como uns dos 600 melhores de 80 países para participar na Lindau Meeting. Curiosamente todos exercem investigação fora de Portugal.

Joana Côrte-Real licenciou-se em Medicina Veterinária em Évora mas decidiu dedicar-se à investigação.  Depois do seu doutoramento no Instituto Gulbenkian Ciência,  está a fazer o pós doutoramento no Nikolaus-Fiebiger-Center for Molecular Medicina, na Alemanha. Joana considera que fora de Portugal existem muito mais oportunidades e conta também que a Alemanha é um bom sítio para investigar e ter família. Joana está a gostar muito da Meeting e sublinhou a acessibilidade dos laureados na troca de experiências.

Outra Young Scientist portuguese presente é Renata Gomes, já entrevistada pela RUC em Abril, e organizadora do A Nobel [email protected], que vai participar na Panel Discussion de Quinta Feira.

Outro dos lemas da Meeting é mostrar que os cientistas são sociáveis, e ontem houve um Griil & Chill para todos os participantes conviverem e aproveitarem a bela paisagem de Lindau.

Grill & Chill

Grill & Chill

A Lindau Meeting é uma iniciativa anual que reúne laureados com o Prémio Nobel e cientistas jovens da sua área, para uma semana de ‘passagem de testemunho’ e inspiração das novas gerações a partir do contacto com os laureados. A Lindau Meeting existe desde 1951, e este ano a edição dedica-se à Medicina/Fisiologia. Mais informação disponível em http://www.ruc.pt/2014/07/01/lindau-meeting-14-dia-1-2/

Reportagem por Mariana Alves

Agradecimentos:

Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra

Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra

Núcleo de Estudantes de Bioquímica

Núcleo de Estudantes de Bioquímica

1
14
59
0
GMT
GMT
+0000
2017-10-23T14:59:50+00:00
Mon, 23 Oct 2017 14:59:50 +0000